Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tristeza entre Amigos

Se tua língua ou mão me fere
O tempo vai me curar
Mas o que a ti se refere
Só você pode aplacar

Se com teu fel me acusas
E nada podes provar
Melhor que fosse verdade
Menos terias de prestar

E se for mesmo verdade
Que todo cuidado é pouco
É bom então que te apresses
Ou vais sem mais ficar louco

Isso não vai alegrar-me
Também não vai me amainar
Mas não quero estar na tua pele
Quando o dragão te pegar

A luz que cega teus olhos
Mostra o vazio sob teus pés
Mas ainda vou ajudar-te
Por duas vezes ou dez

Hoje tu olhas cabeças
E vês escadas surgirem
Assim maior será o tombo
Quanto mais alto subires

Por que não vou me vingar?
Porque não é necessário
Pois tu só estás a cavar
A tua cova de otário

Meches com cachos de abelhas
Com varas curtas demais
Achas que podes correr?
E quando não puder mais?

Se te puxaram o tapete
Caístes tombo pequeno
Mas se quiseres vingar-te
Bebe teu próprio veneno

Destes tristeza aos amigos
E alegrias aos demos
Pois estes riem de ti
E nós seguiremos vivendo


12/02/06
Anjelus
Enviado por Anjelus em 20/10/2007
Código do texto: T702850

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Anjelus
Apucarana - Paraná - Brasil, 40 anos
142 textos (2994 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 01:29)
Anjelus