Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUAL É A COR DOS MEUS OLHOS? (este poema é uma paródia do poema do mesmo título, de autoria do Imortal sergipano, José Amado Nascimento)

Ó homens engravatados,
Apressados, estressados,
Enfrentando desafios
No emaranhado de fios.
Não sois cegos, nem caolhos:
Qual é a cor dos meus olhos?

Informáticos navios,
Entre todos os desvios
Acessai resposta pura
Pra questão de tanta agrura.
Não são caspas, nem piolhos:
Qual é a cor dos meus olhos?

Não há mais tintas, nem panos,
Ou harmonia de pianos.
Vejo-me nos estertores!
– São castanhos, bicolores?
Assentados tais tijolos:
Qual é a cor dos meus olhos?

Empresários, reis, rabinos
Brancos, negros – ou albinos,
Gaúchos de lá do pampa
E suas botas de ferrolhos,
Homens bonitos de Sampa:
Qual é a cor dos meus olhos?

Já vi que é tempo perdido,
Seu qualquer fica aturdido.
Um robô vem me dizer
Sem alegria, sem prazer.
– Está revolucionado:
Meus olhos são certamente
Da cor do pior pecado.
TÂNIAMENESES
Enviado por TÂNIAMENESES em 23/10/2007
Reeditado em 24/10/2007
Código do texto: T706194
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
TÂNIAMENESES
Aracaju - Sergipe - Brasil, 69 anos
1684 textos (176305 leituras)
1 áudios (102 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 20:18)
TÂNIAMENESES