Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AQUI, NESTE RECANTO

Aqui, neste recanto
faço minhas orações a Téspis
e digo a Baudelaire que suas flores nunca foram más

mas neste recanto eu busco a reflexão na forma exata
do momento preciso
a hora do parto da poesia
forçado, natural
mas um parto

qual é o verdadeiro soneto deste recanto?
qual é a verdadeira voz que me chama de volta à realidade?

terra
fogo
luz
amor
saudade
poesia
poetisa
poemúsica
poedor
arpoador dos versos de meu recanto secular

Ah! desculpem-me se  sou o que restou de um poeta
se sou algo que não seja válido ante meus anseios
sou um partícula sóbria neste recanto que se faz canto quando eu mudo minha voz
quando eu mudo minhas vibrações

Aqui, neste recanto
não sobrou nada depois da chuva de violinos do meu quintal
nada
nada
somente o ecoar de uma voz tenor que diz:
"Aqui, neste recanto
faço do meu medo o canto
e do meu canto
o gritar de vozes,
de lamentos, lamúrias, dores, partos
danças, chicletes, águas..."

Até que enfim um som se faz lúcido
o som da minha memória que luta contra o chão
pra ver onde este recanto é fiel e duro
fugaz e forte
precisamos saber onde estão os poetas que renunciaram a vida por mais um minuto de arte

Estou neste recanto.
Por onde meus pés passarem
estarei escrevendo como quem ouve música no parnaso.
Valdson Tolentino Filho
Enviado por Valdson Tolentino Filho em 13/11/2005
Código do texto: T71168
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Valdson Tolentino Filho
Cristalina - Goiás - Brasil, 35 anos
89 textos (3930 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:22)
Valdson Tolentino Filho