Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diário

Neste momento sinto-me só, é como se não existisse nada a minha volta, a vida perdeu seu real sentido e eu estou aqui confuso sem saber para onde ir.
Uma dor se alastra pelo meu peito e corrói o meu coração, é como se algo o rasgasse por dentro, porém a dor não se dissipa, ela continua ali corroendo o meu ser. Olho para o lado á procura de alguém com quem eu possa dividir esse meu sentimento de angustia, mais não vejo nada, nem ninguém adiante, a única coisa que vejo é um vazio no horizonte que se cobre pela escuridão da noite que traz junto com ela meus medos e pesadelos que atormentam e entrega-me a solidão.
Agora percebo que ajudar as pessoas só fez com que eu esquecesse de mim mesmo, pois agora que preciso de apoio só vejo as pessoas me virando a cara, dizendo que não me conhecem mais ou até mesmo me ignorando como se eu não existisse.
Nunca me sentir tão só em minha vida, é como se todas as minhas lutas tivessem sido em vão, é como se meu objetivo tivesse se tornado inalcançável, é como se minha vida não tivesse mais nenhum valor, e será que ela tem algum valor? pelo jeito não parece ter. Acredito-me eu que ninguém sentiria minha falta se eu desaparecesse ou desse um fim nessa minha vida medíocre, acho que nasci somente para atrapalhar e confundir a vida das pessoas que estão ao meu redor, mais hoje talvez as pessoas não precisem mais se preocupar comigo, pois eu vou me calar diante de tais circunstâncias. Hoje prometo para mim mesmo que minhas dores não serão mais expressadas em forma de lágrimas, mais sim em forma de palavras simples que mesmo não tendo nenhum valor para ninguém, ainda sim terá valor para mim, porque de uma coisa eu sei. Escrever é a única forma de desaguar todo esse mar de revolta que tenho dentro de mim...
Nilmário Quintela
Enviado por Nilmário Quintela em 27/10/2007
Código do texto: T712871

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Nilmário Quintela). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nilmário Quintela
Salvador - Bahia - Brasil, 31 anos
214 textos (19308 leituras)
1 áudios (707 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 07:28)
Nilmário Quintela