Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CRENDICE: SORTE OU AZAR?

A vida carece arrojo, preparo,
merece atenção extremada,
quem olvida, dúvida, paga caro,
não culpe sorte ou azar na sua trilha,
antes mire-se no espelho;
Crédulos ou incrédulos, profetizam:
Sorte: estrela que brilha,
Azar: nuvem escura,
pura superstição!
Não muito raro o dia escurece,
torna-se claro logo depois,
sinais?  jamais ... mera superstição!
Exasperou-se o ingênuo que viu!
O azar vira sorte,
sorte madrasta com risco de morte,
pergunte a quem perdeu o avião, que caiu!
Joga-se o jogo, a sorte bela moça,
o azar carrancudo moço,
ela jorra água no árido terreno raso,
o carrancudo torra o tempo cavando fundo poço,
na vida, a sorte não perde o prazo,
o azar ensaia, mas o projeto fica no esboço;
Medite, acredite e não credite
à sorte ou azar seu sucesso ou fracasso,
antes mire-se no espelho;
Em todo caso meu amigo, um dito antigo,
ouço desde a meninice,
tenha muda ou galho de arruda,
sal grosso, espada, pé de café,
e uma bela figa de guiné,
eu sei! é crendice, mas ...

12/04
Andrade Jorge
Direitos autorais reservados
Registro Fundação Biblioteca Nacional/RJ


ANDRADE JORGE
Enviado por ANDRADE JORGE em 14/11/2005
Reeditado em 30/01/2009
Código do texto: T71516

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ANDRADE JORGE
Jundiaí - São Paulo - Brasil
1027 textos (89998 leituras)
26 áudios (1819 audições)
2 e-livros (330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 07:17)
ANDRADE JORGE