Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

À NOITE

Eu vi a noite, em trevas, percorrer
O infinito insondável e esquisito
E palpitei, oprimido, num estertor aflito,
Como se fosse, de súbito, morrer.

Entrevi, embaçado, sem brilho nem vida,
O céu escondido na bruma pesada e fria
E senti a alma, na higidez da agonia,
Cair em abismos, inerte e perdida.

Senti a mágoa, fugidia do espaço,
Tomar-me no vácuo de sua imensidade
E, triste, a vertigem da grande saudade
Apertar-me o peito num gelado abraço.

Nas trevas da noite, quedei-me absorto
No mudo silêncio de minha amargura
E só consegui vislumbrar desventura
No mundo distante, silencioso e morto.
mreno
Enviado por mreno em 20/03/2005
Código do texto: T7177
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
mreno
Itajubá - Minas Gerais - Brasil
37 textos (1814 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:06)