Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Náufrago

Hoje eu quero ir embora, livrar-me de tudo, desprender-me do mundo.

Tiraram-me do mundo das honras, dos compromissos e comprometimentos, palavra, responsabilidade, prioridades e exilaram-me aqui, soltaram-me nesse inferno.

Outras pessoas, outras paisagens, outras vistas e preocupações.

Esse mundo não me pertence, talvez já nem seja mais uma questão de não ter paciência com ele, talvez eu não tenha mais animo mesmo.

hoje eu queria ir embora, queria um quarto, não queria luz nem telefone...

eu queria despreocupar-me de tudo....

O carteiro não falha nas contas mas esqueceu-se das cartinhas com carinho.

Amigos, mulheres, trabalho, segredos, palavras...
tudo tão perto, tudo com significados tão contrários aos que eu queria....

O nálfrago,
inerte,
o desesperado eu...
preso aqui, com vocês...

Rabiscando seu mundo sujo com a minha presença, ferindo corações de brinquedo.

Quebrando taças de cristal e cuspindo nos quadros de tuas paredes.

Sentimentos mesquinhos e egoistas, bestas, pirracinhas de classes financeiramente privilegiadas, isso tudo já não me serve mais, já não deixa que meu sorriso disfarce meu ódio.

Cobranças, espectativas,
esperanças que o herói vá dar um jeito em tudo ao final do dia, que no futuro tudo aconteça e diversas partes do mundo sejam alteradas, varios pontos na história e esperam que as vidas ao seu redor tenham um rumo belo o qual não seria diferente de todo o normalismo que sequencia-se os dias longe dele.

Mas ele pode morrer no caminho, então nada acontece.
Pode desanimar-se,
decepcionar-se
e pode desistir...

então essa hora perceberão que nada podem ser sem seu herói e chorarão eternamente o luto por ter matado quem sonhou um dia apenas sorrir.


varios corpos no chão, nenhuma lágrima, varias mortes, nenhum luto.

Quantos se foram sem fazer diferença?
Quantos ainda valem o esforço?

Quando se mata o ânimo percebe-se que a morte é um caminho sem volta, quando finalmente deparar-se com as trevas perceberão que a busca pela luz tornou-o cego.







e hoje tudo faz sentido.......
rOg Oldim
Enviado por rOg Oldim em 01/11/2007
Reeditado em 01/11/2007
Código do texto: T718975
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
rOg Oldim
São Paulo - São Paulo - Brasil, 29 anos
185 textos (6596 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 08:26)
rOg Oldim