Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA TRUCULENTO

Os fundilhos da pátria se mostram pro mundo
entre pernas abertas rendendo-se ao caos,
porque seus cafetões a despiram pra venda,
pelos câmbios escusos de seus interesses...
Minha pátria tem donos que roubam seu tino,
prostituem seus rumos, impedem que a honra
seja ponto-de-apoio e visão do futuro;
dê motivo de orgulho, esperança e leveza...
Uma terra estuprada por todo poder
que a encurrala no cio de sua ganância,
faz de minha poesia este brado grosseiro...
Uma pátria que aos poucos ficou impudica;
cujos filhos legítimos pedem socorro,
porque minguam por obra dos desnaturados...
Demétrio Sena
Enviado por Demétrio Sena em 01/11/2007
Código do texto: T719190
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Demétrio Sena
Magé - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
3050 textos (61797 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 14:09)
Demétrio Sena