Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Calada... Como Eu!

Andando nas trilhas
de meu interior,
sou eu, eu assim...

São montes e colinas
que atravesso no tempo,
em mim, vendo as flores
que brotam no caminho,
rosas e jasmins.
Mas sou mais margaridas,
papoulas, açucenas
flores dos colibris.

E percebo
nestas andanças,
não sou o que penso,
não tanto.

Assim fascinante...
não sou,
sou simples,
foi pretensão,
foi demais.

Cheguei numa
curva de mim,
dobrei o cabo,
a esquina,
vi a praça.
Os brinquedos perdi,
todos eles,
agora a estrada é terra,
tem pedras.

Os espinhos fazem
carícias na alma,
machucam,
quebram o espelho.
E eu, quem sou eu,
que nem sei mais,
onde vou?
Para o fundo.
Ali é bom, escuro,
quieto, há descanso.
Uma certa paz.
Paz eu quero.

O que quero nunca tenho,
desisto, perco sempre,
mas não quero.

- Mas esperas?

Sim espero.
Ah! como espero.
O reencontro.
O que falou, que disse...

Esperar calada?
E só o silêncio responde:

- Quieta, calada,
como eu... que
espero tudo em silêncio...
Maria
Enviado por Maria em 04/11/2007
Código do texto: T722799
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4776 textos (193324 leituras)
1 e-livros (117 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 19:42)
Maria

Site do Escritor