Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Era noite...
Qual criança acalentada eu dormia calmamente.
Meu corpo exposto jazia nu em meu leito, devido à noite acalorada de verão.
E em meio à penumbra do quarto senti você se aproximar.
Nenhum som se ouvia...
Nada quebrava o silêncio quase palpável daquela noite escura.

Sorrateiramente você chegou.
tocou-me com teu corpo também nu.

Você lançou-se sobre o meu corpo dormente,
Apoderou-se dele e com grande volúpia sugou-me vorazmente.
E eu, rendido a você apenas soltava gemidos e ais.
De mim, fizeste o que queria
E tão sorrateira como chegaste partistes como se nada tivesse acontecido.

Adormeci...
Quando acordei,
Percebi como foi marcante aquela noite
Meu corpo marcado era a prova contundente da tua paixão desenfreada.
No dia seguinte,
Ao cair da noite, lembrei de você.
De o teu "chegar" de mansinho,
Da tua paixão intrépida e voraz...
Esperei com ânsia a tua chegada.
E agora seria eu a me lançar sobre você com toda a fúria do meu ser.
Com volúpia tal, que ao tatear teu corpo,
Quero tirar não apenas gemidos e ais, mas o teu próprio sangue...
...sua muriçoca (pernilongo) sem vergonha!

AmoreVersos
Enviado por AmoreVersos em 06/11/2007
Reeditado em 09/04/2009
Código do texto: T725772

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Waldo Lima). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
AmoreVersos
Recife - Pernambuco - Brasil, 36 anos
562 textos (272975 leituras)
16 áudios (10542 audições)
20 e-livros (1682 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 18:34)
AmoreVersos