Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COMEDIDO COMEDINDO SER!


Não posso comedir
se medido estou!

Não posso estar se
comedido sou!

Não posso ser se
comedindo estou!

Mas posso tudo
mesmo a comedir
tantas ternuras,
tanto(s) amor(es) e
tantas desculpas...

Penso!

©Balsa Melo
25.07.06
Brasília - Recife
 
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 13/11/2007
Código do texto: T736358
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87155 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 13:24)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)