Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Frágil


Um lenço
Um bolso
Um choro
Um riso escondido
Um dito vendido
Um choro bandido
Um rio, um mar de lágrimas,
Um chorar de rir...
Banhar
Os olhos, o rosto, o pescoço
Roendo a carne e o osso
Coração velho ou moço,
É de cortar o peito
Massacrar de jeito
O pobre homem que se corrói
O homem em que tudo dói
Por que procura sempre o impossível?
Por que é inverocímel?
Por que o amor nem sempre é mel?
Por que ao homem não pertence o céu?
Um som, uma luz,
Um doce, um pus,
Uma capa, um capuz
Quem sabe a razão do perder?
Quem não perde a razão do saber?
Luciano Villalba Neto
Enviado por Luciano Villalba Neto em 15/11/2007
Código do texto: T737779
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luciano Villalba Neto
Sobradinho - Distrito Federal - Brasil, 48 anos
121 textos (1746 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 19:30)
Luciano Villalba Neto