Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Pedido De Um Coração

E se o silêncio toma minha alma e cala meu coração
calará a voz que grita, que derrama as lavas do vulcão.
No silêncio as folhas sussurram, a natureza pode falar,
as flores respondem o que a mente está a perguntar.
É só ouvir, as águas falam, os rios, os montes andam
em torno da vida que do céu flui, é só tudo ver e viver.

E a alma sente a presença tão distante, sente perto,
toca nos sonhos alados as asas tão amadas, chora,
um choro triste, calado de pó, coberto de nuvem,
e passa no céu um risco azul, o tempo que foi, o ontem,
tão amado passado, hoje só rascunhado nas canções
da flor que de longe olha a montanha em dor. E que dor!

E assim fica a história, uma avezinha num ninho, bem só,
as asas torcidas, feridas, quebradas, pelo tempo algoz,
tempo que não volta mais, realidade que se apresenta,
aceita agora, reconhece, a perca, sofre e grita, mas morre,
em frente a porta entreaberta, a cadeira de vime, folhas verdes,
uma rede e o ditame: - Agora vai, voa embora, ave de mal-agouro.

E nesta morte, deixa rascunhado, um último desejo, o sonho,
se um dia... se um dia... Deus lhe quiser presentear, lhe dê:
uma réstia de luz do sol, um jardim dos encantados, e ainda,
a cura para seu coração, a felicidade, para si e o anjo alado,
e que tenha sempre sob o seu cuidado, o gato dourado, o sol,
o rei - senhor das roças, a montanha azul, tão pela flor amada.

Maria
Enviado por Maria em 15/11/2007
Reeditado em 15/11/2007
Código do texto: T738092
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4774 textos (193180 leituras)
1 e-livros (117 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 06:07)
Maria

Site do Escritor