Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sei lá, por aí.

Um dia eu saí de casa
em busca da nova poesia.
Cerrei as cortinas,
tranquei a porta
joguei a chave fora.
“Onde?”
“Sei lá, por aí.”
Vaguei os dias
em terras incertas.
Bebi sonatas,
mastiguei cantatas.
Dormi as noites
nas serenatas
dos braços longos
da madrugada.
Compus meus versos
com amor e paixão.
Deixei meu sangue
tingir as rimas
acelerando o coração.
Fiquei no tempo
trocando cosmos.
Os anjos, direcionando meu vôo.
Os demônios, atiçando meus olhos.
E beijei todas as bocas.
E amei todos os corpos.
Compus novo poema
cem vezes torto.
Apaguei asteriscos,
deixei espaços,
grifei o finito.
E a poesia não coube em mim.
Voltei a casa
enfiei o poema por debaixo da porta.
Alisei minha roupa, despi-me do incerto
e, lentamente, parti.
“Para onde?”
“Sei lá, por aí.”
Dora Leal
Enviado por Dora Leal em 20/11/2007
Código do texto: T744383

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dôra Leal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dora Leal
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
507 textos (25834 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 04:06)
Dora Leal