Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Apertos

É tudo tão pequeno diante do tudo....
As formigas se engalfinham, em busca de espaço
Os carros disputam espaço nas ruas pequenas e desesperadas de Goiânia...
E aqui, soterrada,
Meu coração divide espaço com outros órgãos...
Tudo é uma questão de pequenices desvairadas...
e eu, por acaso beco...
eu, por acaso....
vejo...
pedaços de peito, que se engalfinham dentro...
uma angústia, um verso sem saída...
uma vontade de gritar pra dentro,
pra ver se o medo acorda e deixa...
pra ver se o verde estandarte desenvelhece...

e eu, que triste, peço...
eu que tristemente verso, disputo o espaço...
de toda a imensidão de espaço que me cerca...
mas no peito, se apertam versos,
no peito se apertam órgãos dispersos...
no peito o aperto perto....
sertão em mim,
você em mim,
cada vez mais....

Voando...
Voamos, vamos...
Pra beira do teu peito,
Pro sossego livre, pro desaperto....

Mas aqui é dentro....
É beco...
É saudade, apenas...

Talvez um espaço vazio
em meio a tantos vazios desenfreiados....
Talvez o aperto dos vazios implícitos e intocáveis....
Talvez a disputa entre o vazio e a falta de espaço....





[Inês Martins]
Inês Martins
Enviado por Inês Martins em 22/11/2007
Código do texto: T747033

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o autor e o link da obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Martins
Goiânia - Goiás - Brasil
126 textos (6955 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 14:03)
Inês Martins