Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Moço mal educado

 

Outro dia... Num banco lá da capital.

Fui muito mal atendido por um empregado

Só porque ele pensou que eu fosse um mendigo

 

Com maus modos, ele me pediu para sair.

Que minha roupa não condizia com o lugar

Eu educadamente, para este moço, eu respondi.

 

Não ria moço... Do meu modo de vestir

Também, não devias rir do meu jeito de falar.

Por isso moço, devia me tratar com mais respeito.

 

Lá onde moro não preciso de gravatas

Nem destas roupas que você esta usando

Moço, tudo o que se precisa e ser bem educado.

 

Por isso moço... Trate bem os seus clientes.

Porque também, eu sou um cliente deste banco.

  Moço, o seu salário, sou eu, quem está pagando.

 

Vivo na roça... Lá planto milho e feijão

Também planto trigo que é pra fazer o pão

Este pão, que é servido todo dia em sua mesa.

 

Agora moço... Desconte-me este cheque,

Só não se admire moço, com o nome escrito ai.

E isso mesmo moço, sou um acionista deste banco.

 

Balneario dos Prazeres: 23 / 11 /2007

Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 23/11/2007
Código do texto: T749707
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2316 textos (148995 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 08:37)
Volnei Rijo Braga