Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NA MESMA MEDIDA

Também sei desamar, desistir, devolver
o demérito, a neve, a frieza no olhar,
sei viver na penumbra, no vácuo, no vão,
sem sentir solidão, sem julgar o meu fim...
Quem quiser meu açúcar, terá de extrair;
antes disto sou cana e dou certo labor;
quem depois me trair só terá mau agouro,
ao trocar o sabor, para ser de amargar...
Venha dar e ter tudo que um laço permita,
minha carne já grita e meu íntimo clama
pela cama e porcerto por todos os dons...
Entretanto é preciso estender este alerta
de que tenho as respostas de cunho padrão;
sou ladrão de atitudes que um dia devolvo...
Demétrio Sena
Enviado por Demétrio Sena em 24/11/2007
Código do texto: T750587
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Demétrio Sena
Magé - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
3050 textos (61785 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 02:54)
Demétrio Sena