Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
ENXUGANDO O PRANTO QUE ERA SEU!
*************

Esperei durante muito tempo...

Olhei inúmeras vezes para o céu!

Balbuciei sílabas para devolver ao

coração uma justificativa plausível

para tanto sofrer!

Esperei apenas!

Nada aconteceu!

Aconteceu demais e
foi desforrando-se do meu rosto

umedecido no entardecer tristonho...lento!...

Lágrimas encharcadas de lembranças idas, 
doridas e enfermas!...

Espera de gente descontente!

De gente que,

como esperança,

sumiu no amarelecer dos olhos

perdidos no entrelaçar dos dedos

 que enxugavam o pranto que era seu!

©Balsa Melo
22.11.06
Brasília - DF

BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 28/11/2007
Código do texto: T756909
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87766 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 10:38)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)