Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESTINO

Não sei se acredito nessas coisas de destino,
Em que todas minhas culpas nele eu ponho;
Mas será que não foram frutos de desatino,
E procurando expiar-me arranjo e proponho?

Creditamos ao destino o que não nos faz bem,
Para coisas boas, felicidades, dele esquecemos;
Isso é próprio do ser humano, só o que convém,
O ruim é destino, o bom é o que conseguimos.

Propostas que a vida oferece são elas caminhos,
Neles temos uma vida inteira para ir a passos,
Nem sempre fáceis e nem tranqüilos de se dar;
E acusamos o destino quando temos de retornar.

Em que posso acreditar no destino ou no acaso,
Será que ambos não são da vida irmãos gêmeos?
Os dois, futuro, imprevisíveis, frutos do fracasso;
Se não é como a gente quer. Escape de ingênuos.
Lúcio Astrê
Enviado por Lúcio Astrê em 03/12/2007
Código do texto: T762464

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lúcio Astrê
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil, 60 anos
263 textos (10338 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 15:07)
Lúcio Astrê