Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
SEM O SEU ABRAÇO... SEM VENTO!
***************


Oh! como o barulho da saudade


 incomoda nesta hora!


Tristes são meus lamentos


surgidos no abandono da noite!


Nem a lua,


nem o vento me abraçou neste dia!


A cortina,


que escondia meu canto numa


penumbra sem definição,


rasga-se desprotegida pelos tantos


pingos orvalhados do meu coração!


Vejo as estrelas,


mas elas são insossas sem o seu afago!


 Desenho a lua...


sem contorno,


sem viço,


com uma triste revelação causada pelo


desprezo de um dia inteiro mudo!


Nenhuma letra,


mesmo que fosse morta,


para acalentar meus sonhos!...


Você fincou a espada da ausência em minha realidade e


sangram meus gestos sem poder acenar


um amor que convença seu medo!


Eh! a saudade é chama que me arde nos olhos...


especialmente quando o vento,


como colírio,


não alivia,


mas chega em forma de dor


pungente de gente que não me quer!


Oh! vento maldito que me fez sonhar,


que me fez acreditar que voar era possível...


vento veneno que me cega e


causa o gotejar da minha alma!


©Balsa Melo

12.01.07

Paraíba

BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 03/12/2007
Código do texto: T763761
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87725 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 15:10)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)