Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A razão

Estou para aqui a ruminar
Estes versos clandestinos
Que me fazem confrontar
Por entre pedras destinos

Destinos por onde atino
As metas da vida omissa
Onde ao correr me defino
De mão no ar insubmissa

Mão que aponta e aglutina
Longas estradas, caminhos
E juntando pistas declina
Das ervas odores daninhos.

Pelo chão piso os espinhos
Os pés descalços ferinos
Com força giram moinhos
E os ventos acefalinos.

Ventos que ditam o destino
Do acaso onde me entranho
Num espaço que contamino
Neste tempo sempre estranho.

No tempo da decisão
Ante o vento em desatino
No espaço bifurcação
Um toque de violino.

E eu adivinho a razão…
RoqueSilveira
Enviado por RoqueSilveira em 04/12/2007
Reeditado em 04/12/2007
Código do texto: T764204

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar a autoria de M. Conceição Roque da Silveira e o site www.letrasdispersas.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
RoqueSilveira
Portugal
235 textos (8526 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 21:00)
RoqueSilveira