Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MAGNÓLIA

Hastes.
Verticais.
Barbies.
Nas tabernas se entreolham como anjos pecadores,
tementes parricidas,
marcados às vias que o pensador de centro explica.

Hoje.
Talvez.
Dúvida.
Não!
Um dia,
quiçá,
alta nas ilíadas urbanas,
Princesa Branca de Neve,
desperte nos jardins projetados dos sítios centrais,
com uma calcinha de balada,
bem bacana?!

Maçã.
Sorvete.
Mel.
Fez da língua um ocioso céu,
a merecer odes premiadas nas luas vagabundas,
onde se arruma um bom papel.

Tudo.
Filho.
Da puta.
Como as amarras do universo
editam boas estórias,
construindo justos sem memória?

Ao passo que o passado de tudo dava passagem à turva História, o filho do peixe-homem correu da Terra e nos deixou Magnólia.


RODRIGO PINTO
Enviado por RODRIGO PINTO em 07/12/2007
Código do texto: T768368
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
RODRIGO PINTO
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 99 anos
323 textos (19458 leituras)
2 e-livros (918 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 20:57)
RODRIGO PINTO