Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu quero que chegue logo...

Eu quero que chegue logo a estação das flores
Para não ter que ficar tanto tempo sozinho
Olhando o Jardim nessa espera
Eu quero que chegue logo a estação das flores
Para olhar o sol refletindo mais colorido
Para que os dias sejam mais amenos
E que a ausência não seja tão sentida
Eu quero que chegue logo a estação das flores
Para olhar para trás e poder sorrir
Ver a luz branca solta naquele recanto
E saber que tudo é sempre muito bom
Seja qual for o toque, a palavra
Eu quero que chegue logo a estação das flores
Para ver de longe o sentido de perda
Que é uma constante no rol feérico da vida
Perdido em pensamentos, perdido em temas
Por aquilo que tanto almejamos e fica de fora
Pela falta de palavras no vazio do dia
Eu quero que chegue logo a estação das flores
Para sentir o perfume da brisa relutante
Como o desejo que reluta adiante
Com todos os nervos expostos na noite
Pedindo mais um ar num folego alucinante
Tantas noites mal dormidas, flamejantes
Pelo dia que demora a chegar urgente
Eu quero que chegue logo a estação das flores
Para não sentir a terra distante
Não ver mais o gosto amargo na boca
Não esperar horas, dias e meses
Pelo toque de recolher radiante
Na rubra face da noite sem tremores
Com a cúmplice Lua sobre os aromas
Vestida na nudez da minha face
Eu quero que chegue logo a estação das flores
Minha demora é quase louca
Minha sede é ardente e louca
Minha espera é demasiada
Mil desculpas são meus vis ardis
Pela espera que me toca
Pela parte que me falta
Pela voraz sede que me revolta
Linhas pulsantes de um horizonte alado
Eu quero que chegue logo
Pois estação é flores
Que pouco esperam o dia raiar
Que pouco poupam minha solidão
Que pouco se importam se fico para trás
E ninguém ve aquilo que não sabe
E pouco entende o que é estar sempre solitário
E pouco entende o sentido de perda
E pouco entende aquilo que sinto agora
Pois tudo que quero é estar feliz, mesmo que a espera seja mais longa.

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 24/03/2005
Código do texto: T7702
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120255 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:25)
Peixão