Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fui tomado de assombro pela sua volúpia...

Fui tomado de assombro pela sua volúpia
Sim, novamente, ela suplantou tudo,
O prazer é uma conseqüência sem proporções
Quase não há palavras para explicar
É como sentir aquela golfada de ar
Que vai subindo de debaixo do estômago
E para na garganta
Querendo explodir em mais um fantástico gozo
Céus, treme até as mãos de pensar de novo,
Sentir sua carne devorando-me por inteiro
Agarrar seus seios, te penetrando devagar,
Sentir sua carne intumescida por tantos orgasmos
Beijar milhares de vezes a sua boca
Enterrar fundo meus dedos na sua “princesa”
Saborosa princesa que vai engolindo devagar
Sugando-me impaciente enquanto mordo seus seios
Beijo sua boca, seu pescoço,
Ah! Começo a delirar de novo com tanto tesão
Sua bunda devorando-me de novo, & de novo,
Você me clamando para não gozar ainda
Ah! Como resistir?
Minhas pernas ainda estão bambas
Pela trepada mais fantástica que você me proporcionou
Pude sentir todas as ondas do universo me carregando para o infinito
E mais feliz ainda fiquei
Ao constatar que você gozou a todo o momento
Onde fomos encontrar tanto tesão?
É tudo muito fantástico & maravilhoso
Sempre busquei essa satisfação
E agora tenho a absoluta certeza
De ter encontrado plenamente o maior prazer do universo
E só mesmo uma mulher como você poderia me proporcionar
Esse tesão está além de qualquer imaginação
Não tem como imaginar nada melhor
E me envaidece o quanto você gosta & goza com um prazer supremo
Só pode ser coisa dos deuses
Nunca minha Ilha esteve tão florida & satisfeita
Mesmo que nunca nos foi permitido tempo maior
Ainda não
Mas um dia com certeza, ainda teremos,
Ah! Como acredito nisso
E sei que merecemos esse prazer.
Fazemos por merecer.

Peixão89
Deixas – 1998-2000
Peixão
Enviado por Peixão em 25/03/2005
Reeditado em 21/08/2009
Código do texto: T7813
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 56 anos
3231 textos (120196 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/16 12:21)
Peixão