Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PRESENTES

Dei-te, meu amor
não os meus primeiros
e inocentes
anos de adolescente.

Não te dei também
meus beijos inexperientes,
nem os maravilhosos,
coloridos, planos
de minha mente...

Dei-te, ao contrário,
muitos desenganos
acumulados,
no meu dia-a-dia,
dolorosamente...

Dei-te maduros anos,
orvalhados,
dei-te o cair das folhas
outonais...
dei-te o sopro
da aragem matutina,
a minha alma pura,
cristalina
e dei-te, amado,
muito, muito mais...

Dei-te o ocaso
das minhas primaveras
as minhas doces
lembranças
e quimeras
as desbotadas sombras
dos meus dias

E finalmente,
dei-te, sem pesar,
cada minuto
das horas de prazer
o alvorecer
sereno
depois das noites
de supremo amor.

Dei-te momentos de riso,
e de alegria,
o meu  abraço,
minha companhia...
o meu consolo
para o teu sofrer...

E dei-te a última,
sonora melodia,
que entoou o violão
plangente,
que agora jaz calado

eternamente
.
.
.
BH - 08.08.04
lisieux
Enviado por lisieux em 25/03/2005
Código do texto: T7928
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lisieux
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 61 anos
394 textos (14454 leituras)
3 e-livros (409 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 19:05)
lisieux