Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Coisificação do homem

Coisificação do homem
Vanderli Medeiros

Nascemos cheios de esperanças,
O mundo, pelo nosso olhar de criança,
é grande, um gigante a ser conquistado,
que por nós será em breve domado;

Há o primeiro contato com conflitos da adolescência,
Sonhos, amores juvenis assalta-nos com insistência.
As primeiras decepções e dores, a exigir-nos penitência;
percepção de que há no mundo muita crueldade,
que ele não é feito só de amores, há desumanidade...

Que entre a terra, o céu, e o mar,
há mais mistérios e enigmas a desvendar;
que a felicidade é composta apenas de minutos fatídicos
a nos condenar, posteriormente, a tormentos oníricos.

Até o dia em que morre de vez em nós, num segundo,
o olhar de criança com o qual contemplávamos o mundo,
a nostalgia toma conta do ser, irremediavelmente, é doloroso...
Amanhecer para um novo dia, se torna cada vez mais penoso...

Morre o amor, a fé nos seres, ‘coisifica’ o homem,
humaniza-se e glorifica-se o vil metal ($)
morrerá o homem, eterno é o metal que nos consome...
Tolo bicho homem, verme da terra e p’ra ela voltará!

E, contemplamos o planeta cheio de seres alienados;
Destituídos de alma, correndo atrás do vil metal, bitolados.
Numa letargia louca, insana, demente, factual e desigual.
Nas ruas, muita gente aglomerada, entregue a solidão, abandonados...


Barra do Garças – MT – 11/07/04
Vanderli Medeiros
Enviado por Vanderli Medeiros em 23/12/2004
Código do texto: T802
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vanderli Medeiros
Barra do Garças - Mato Grosso - Brasil, 50 anos
145 textos (29680 leituras)
2 e-livros (252 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:21)
Vanderli Medeiros