Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INDEFINIÇÃO

Nada explica
o que sinto agora.
Há uma inquietude sem fim
e um vendaval
varre todo o meu corpo
deixando minha alma às avessas.
Há sempre um vazio
dentro de mim
que confunde minha cabeça,
que se transforma
em temporal interior.
Há dias de calmaria,
há dias que pareço um vulcão
prestes a explodir.

E nada me completa
porque essa busca indefinida
me deixa numa rua escura,
sem início e sem fim,
num meio termo,
sem chorar ou sorrir,
numa indecifrável procura,
sem chegar ou partir.

E essa indefinição
do que sinto agora
não me deixa escolher
entre o amor e a paixão,
querer e não querer,
acertar ou errar.
Pois se já me acostumei
ao dito e o não dito,
ao começo e ao fim
é porque vai e volta
tudo se repete.

Ah esse estranho desejo
de querer sempre mais.
Não sei se paro ou corro,
se amo ou esqueço
ou simplesmente
peço socorro
a tua alma insensível
para que me complete.
José Nilton Teixeira
Enviado por José Nilton Teixeira em 03/12/2005
Código do texto: T80595
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Nilton Teixeira
Torres - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
63 textos (3866 leituras)
3 áudios (316 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:17)
José Nilton Teixeira