Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OFÍCIO DE PINTOR

OFÍCIO DE PINTOR

          Wanderlino Arruda

A cor do céu é que escolho primeiro.
E não precisa ser azul,
pode ser branca, amarela,
rosa-vermelho, com jeito de verde-musgo,
em sonhos das esmeraldas,
Céu também pode ser cinza,
que é cor de ingratidão.
Vistas de perto,
vistas de longe,
ondula tom sobre tom
em tardes de vento sul.
As cores são movimentos
na sombras suaves da luz.
O que fica debaixo do céu,
do sentimento da hora,
da minha disposição.
Pode ser mar, pode ser rio,
com barco ou sem barco,
ou vereda de florestazinha.
O que não pode
é o faltar montanhas,
não dar vista à distância,
não dar aos olhos lonjura
como Minas fica do mar.
O relevo é feito de pedras,
estradas, perspectivas,
claro-escuro, composição.
O que dá alegria aos pincéis do pintar,
mais do que as cores,
mais do que o ritmo
é a sensação de criar.
Pintar belezas da vida:
ofício de pintor é pintar.

http://www.wanderlino.com.br
http://www.wanderlino.com.br/historia
http://www.wanderlino.com.br/espiritismo
Wanderlino Arruda
Enviado por Wanderlino Arruda em 24/12/2004
Código do texto: T860
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wanderlino Arruda
Montes Claros - Minas Gerais - Brasil
82 textos (71257 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:22)
Wanderlino Arruda