Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMORES ANTIGOS


amores antigos,
muito obrigado!

de vocês
não guardo nem um pouquinho de saudade,
mas lhes agradeço tanto!..

vocês, que me fizeram distinguir
a amizade da cumplicidade,
o namoro puro de um puro tesão,
a realidade da paixão, que fica só por ficar,
nunca me imaginaram
pronto, o suficiente, para mergulhar num grande amor.

Agradeço-lhe a sutileza das meninices,
quando percebi que apalpava, só, um talvez amor!

amores antigos,
garanto-lhes, enquanto estiverem em solidão,
nunca mais ser aquele chato-de-galocha
que ficava  perseguindo-lhes os passos,
apesar da consciência do fim-do-nada,
curioso se fui, ou não, substituído;
amores antigos,
sei que fui muito pouco para tanto contigo,
éramos tão inseparáveis, tão confusos
que o fim-do-mundo ficou gasto no universo,
apesar do aprendiz, passo-a-passo, de tudo.

amores antigos,
ah, como queria garantir-lhes outros futuros!...
pois sei,
é muito cabotino agradecer aos velhos carinhos
na minha experiência defasada;
mas se não mais existissem, antigos amores,
não saberia distinguir a amizade da cumplicidade,
o namoro puro do puro tesão,
a paixão que acabou por necessidade
para que o amor, sem comparação, acontecesse!
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 15/12/2005
Código do texto: T86374
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:26)
Djalma Filho