Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem Justa Causa

Quando me sinto, me canso:
não sei se ainda guardo
um nicho límpo no peito
espécie de  inauguração eufórica
de alguns novos sentimentos.


Quem  sabe, arrumo  um jeito
de me arranjar, a despeito,
deste leito de resguardo
onde o passado que  enjeito,
é feito de teias de alento.
Coisas novas, coisas velhas
convivem na paz de momento!


Uma canja  pro cansaço
cura querer estragado.
Qu'esse sentir remendado
se não for o timoneiro
de um novo coração
é cobertura de telhas
de vidro, para a paixão.
É figura de retórica
implícita na ilusão,
recomeço rotineiro
dos chavões da sedução.


Ou de novo  me acredito,
ou meu sentir estradeiro
não dorme, parte sem pausa.
Do meu peito me demito
com razão, sem justa causa!

Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 16/12/2005
Código do texto: T86652
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (11467 leituras)
1 e-livros (126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:33)
Elane Tomich

Site do Escritor