Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BRASILINO

Brasilino produz

                                                    e quase não repousa
                                                    e carrega pesos
                                                    e força, à exaustão, o ser em frangalhos.

                          Brasilino irrita-se

                                                     e sua
                                                     e sente tédio
                                                     e se exaure

                           o relógio é ponto central de sua vida
                                                      e pensa mesmo em não mais voltar para  casa

                           Brasilino anda desanimado

                                                       e dorme mal
                                                       e se levanta sem humor
                                                       e sequer nota os filhos crescendo
                                                       e vai se arrastando estressado

                            a cada final de semana, tudo também é igual:
                                                       
                                                        e o barzinho é seu refúgio
                                                        e joga conversa fora
                                                        e sonha com a mulher que nunca passará
                                                        e marca pelada próximo à estação de trem
                                                        e força os músculos
                                                        e irrita-se e sua e se exaure
                                                        e briga com todo mundo
                                                        e volta para casa enganado

                             na segunda, retoma-se a esfola:
                             Brasilino, pobre Brasilino, está morrendo.

                                                         e sem o menor sabor sorri
                                                         e não reage,
                                                         e se entrega alienado
                                                         e aceita a vidinha rolando infeliz.

                             




Ary Carlos Moura Cardoso
Enviado por Ary Carlos Moura Cardoso em 17/12/2005
Reeditado em 03/12/2009
Código do texto: T87005
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Normal.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ary Carlos Moura Cardoso
Palmas - Tocantins - Brasil
1005 textos (256709 leituras)
1 áudios (296 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:35)
Ary Carlos Moura Cardoso