Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FOLGUEDO

Tem cana no moedor
queimando amor e melaço
Tem bicho-de-pé, sertão
tem mormaço, sol e mormaço
Tem ciranda rica de chão
na roda, no rola e gira: volta pião!

Cavalo-marinho,
faz mesuras pro Damião,
o compadre destemido, sem medo das carpideiras.


Tem meninas no roçado
trepadas no bicho-do-araça
Tem fruta-pão pelos campos
tem bicho-de-pé, pé descalço
Tem terra quente a queimar
na sola, no solo, no solado chão!

Cavalo-marinho
porta o estandarte de Zefa,
a comadre de voz solta, sem medo de rouquidão
 

Tem banho de rio pelado
tem sombra para a nudez
Tem água-viva na bananeira
queimadas da goela ao mar
Tem cachaça e fumo de corda
pra arder, pra beber, pra tragar!

Cavalo-marinho,
leva os poetas para a praça,
falarem até o duo*fazer bico do conto do boi-bonito.


Tem banho de cheiro, folguedo,
dia primeiro de um janeiro
Tem a data marcada por um Deus
para o sol, enfim, se esturricar
Tem palma ralada e mandioca,
calos calados de mãos a rezar!

Cavalo-marinho,
do pau-da-rola à porta da bodega,
deixa o pau-de-arara partir só e cheio voltar!

* a palavra "duo" foi inserida neste poema apenas para poder ser publicado
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 30/03/2005
Código do texto: T8757
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:13)
Djalma Filho