Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEM BOLINHOS DE BATATA


Rita não ama.
Rita se engana.
Faz bolinhos, salgadinhos,
tira-gostos para acompanhar a cerveja
de quem lhe enche a cara e a barriga, mal.

Rita não age.
Rita se esconde.
Gasta noite, barriga, forno,
o suor dos olhos claros para não dormir
com quem comeu e, agora, ronca meio farto.

Rita não trama.
Rita é ingenuidade!
Protegida, em casa, na calma,
desfia novelos de lã de dia para justificar
que o sangue não vem dos dedos de costurar.

Rita não peca.
Rita é só santidade!
Casada, não beija de boca aberta,
faz silêncio de viuva, congela a língua
que faz mímica para o céu-da-boca sem afta.

Rita tem filhos.
Rita tem saudade!
Deixa queimar bolinhos de batata,
se desgasta nas tarefas do dia a dia
para provocar nele, cansado, mais impaciência.

Faz pirão de leite, pra peixe
Faz feijão, farofa e arroz tropeiro
Faz carne de panela com batatinhas
Faz cuscuz de leite com mandioquinha

Rita saiu de casa,
Rita foi só para a feira
E jamais voltou à cozinha.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 30/03/2005
Código do texto: T8773
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:12)
Djalma Filho