Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Camafeu

Não é o meu melhor.
Sei que mais posso
e mais sou.
É fato que a vida ronda,
muito mais que a morte,
o limite do meu Eu.
No entanto, busco
a sorte como forma
de combate e me
vejo em alto relevo
retratada num camafeu.
Ah! Insano mundo
que gradeou meu olhar
numa viseira de breu.
Voilà!
É que a garganta expele
grunhidos enrouquecidos
e febris de solidão.
Desconheço o meu melhor
porque busco inconstância
na obstinação que emana
do lírico amor de Orfeu.
Não existe mulher Eurídice.
E nem o sal que ardeu suas entranhas
é o mesmo sal que me ardeu.
Não sei do meu melhor.
Pode ser que ressurja do nada
faça-me e me desfaça
e novamente me dê adeus!
Ou, quem sabe, o melhor
já esteja e me faça menos
excêntrica, mais vital,
mais essência e  nunca
mais,  camafeu!
Dora Leal
Enviado por Dora Leal em 21/12/2005
Código do texto: T89021

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dôra Leal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dora Leal
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
501 textos (25392 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:52)
Dora Leal