Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NATAL & A AREIA DO TEMPO!

Olhei o Natal, fez-se a luz
Brilho que a noite reflete
Cá de baixo pelas ruas
O seco da garganta aflita
Salgada a água que escorre
Pela boca em lamento
Sim, ainda há lamentos
Feito expia, a espera que fica
Mira que as árvores que piscam
Vez que passou pelo tempo
Esses fios brancos do tempo
Nessa areia que se esvai
Ah! areia pela terra inata
Vagas do brilho no olhar criança
Feito o gosto, jeito de esperança
Troque uma arma por brinquedos
Para que a alma não se lave em tanto sangue
Sim, alguém anda derramando demais
Ah! maldita areia que entope o nariz
Mesmo quando se pensa em renas & presentes
O vago na vista por aqueles tão ausentes
Vaga de Natal, estoque de shopping
Miríades que brilham nos prédios
Uma magia que não pode se perder
Que reluz nesse dezembro de festa
Mesmo com o olhar desconfiado
Embutido por míseros que pouco se importam
Apenas fomentam o escárnio que perpetuam
 
O olhar que brilha na vitrine
Daqui de fora, o brinquedo que anda
A bola linda e grande, ah! o joguinho
Que blusa linda... será que serve em mim...
A mesa merece uma foto...
Hohohohohohoho!!!! Vem tirar uma foto!
 
Iluminuras & velas, enfeites e outros confeitos
A nau que aporta tranqüila no Porto
Castanhas com novas vinhas para a ceia
Pacotes acelerados de última hora
Olhar que na distância se perde
Hohohohohohoho!!!! Vento que corta o corpo!
 
Francos atiradores a domicílio
Dejetos escondidos pelo mar
Empurra ai, não fala que é do ano passado
Todo ano a gente faz isso
Vende tudo, pra garantir o décimo terceiro
Hohohohohohoho!!!! Açúcar cristal de cobertura!
 
É, muitas mazelas a contar ainda
Mas o Espírito de Natal ainda prevalece
Feito esperança, feito uma vida
Acasos & confeitos, pela vida dura
Amores & prazeres enquanto o ar respiro
Afagos tão gentis no coração quente
Mesmo que se banhe em lágrimas
Por aquilo que não conseguimos
Por tanto que precisa ser feito
Muitos ainda tentam, com todas as suas forças
Heróis anônimos que colocam
O que o bom da vida lhe trouxe
Como recompensa do esforço, do trabalho
A levar adiante essa magia do Natal
Ver um carente receber um presente
Esse riso solto no ar pelo pequeno presente
Faz que a esperança se mantenha
Que teremos sim, um futuro
E nesse, todos possamos de fato comemorar
O melhor Natal do mundo!
 
É na Paz que eu olho o bom da vida!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 28/12/2005
Código do texto: T91128
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120250 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:53)
Peixão