Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sentir o doce sabor da solidão...

Sentir o doce sabor da solidão
Sentir o aroma que se foi
Ver os dias passar
Passando um passo de cada vez
Ver outros tentando invadir a muralha
Divisando o brilho dos olhos
Que nem lhes pertencem
Seguir o caminho desse lado sem luz
Sentir a virada do ano tão próxima
Ver o presente passar
Passando um passo de cada vez
Sentir sem sentido
Sem saber o que mais falar
Calar por inércia
Sem poder tocar sua boca
Ver outros sem te sentir
Passando um passo de cada vez
Sentir a música no ar
Sentida de tanta falta, a falta de ar,
Roubando o ar que respiras
Tomando preciosos momentos
Um passo de cada vez
Passando a ser passado
Mas quem não passa por isso
Sem se sentir com essa insustentável
Leveza do ser que passa ao largo
Sem sentir o passar
Um passo de cada vez
Amanhã é outra música
Amanhã é mais um que passa
E aqui olhando o movimento
Estático, tático, estético,
Sem sal, nem outro tempero,
Mal passa o que mal se sente
Senão a passante solidão
Que só não cai no esquecimento
Por ser um passo de cada vez.
Nem 5, nem 6, de um quase dezembro, antes que se vire outro ano em 2.000.
Quase meia-noite, isso é o que se passa.

Peixão89
Desabafos 2 – 1999-2000
Peixão
Enviado por Peixão em 01/04/2005
Reeditado em 25/07/2009
Código do texto: T9140
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120250 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 15:52)
Peixão