Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESPELHO, ESPELHO MEU...

Olhou-se bem no espelho
E viu-se como era velho...
Notou seu rosto enrugado
Pelas marcas do passado...

Parecia até, antever
Que está prestes a morrer...
Fechou os olhos, chorou
E à infância, retornou...

Em um Natal bem distante
No seu Lar aconchegante,
Como um Príncipe querido,
Seda e veludo, vestido...

Os presentes que pedia
Chegavam ao raiar do dia
Quando então, ele acordava
E tudo se iluminava...

O tremzinho que apitava,
O carrinho que buzinava...
Que com orgulho, exibia
Aos amigos com alegria...

Logo veio a adolescência
Com as várias experiências...
As primeiras namoradas,
O violão, madrugadas...

O noivado, o casamento
E o seu primeiro tormento:
A grande perda dos pais,
Expressão do nunca mais...

Amando muito seus filhos
O seu trem voltou aos trilhos
Na sua alma de artista
Seus sonhos fariam lista...

Muitos deles, realizados
Outros tantos projetados...
Livro no prelo, na estante
Seu companheiro constante...

Sua razão de viver
Está na Arte do Fazer...
De compor na Poesia
A verdade em Fantasia...

Voltou a ver-se no Espelho...
Sorriu e ficou vermelho...
Resolveu se renovar
No Ano que vai chegar!...
Ricardo De Benedictis
Enviado por Ricardo De Benedictis em 31/12/2005
Reeditado em 24/01/2006
Código do texto: T92648

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo De Benedictis
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 77 anos
1214 textos (272440 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:06)
Ricardo De Benedictis