Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Com licença, Poetas!

Quando nasci, um anjo distraído,
desses que vivem nas nuvens, desejou:
- Vai, menina! Navegar em águas tranquilas.
Que ledo engano! As águas caminham
rapidamente e eu nem aprendi a nadar.
Preferi deixar que os ventos
vazassem as minhas asas
e rumei ao infinito, com os olhos de uma poeta.
Enxerguei flores nas pedras,
Encantei-me com a tempestade dourada
Afoguei-me num mar de lágrimas
Acreditei no silêncio de cascatas
E num frenesi total,
fiz da vida uma serenata.
E entoei os meus cânticos
Rodopiei nos desencantos
Esfacelei-me em cada canto
Mas meu sorriso, no entanto,
fez uma estripulia na tela
deu-me o cinza no olhar
mas o vermelho no sentir
E pulsei, galguei, investi!
Não naveguei em águas calmas
mas caminho em solo firme
E os meus passos levitam
quando estou a sonhar...
Aí sim, alço os meus vôos
Procuro pelo meu anjo maroto
Que sem harpas, todo absorto
oferece-me um sorriso meio torto
como que procurando luz!
E acendo a minha chama
E brilho tal qual diamante
numa noite de luar
Aconchego-me em sua alma
E sussurro lentamente:
- Grata, por me ensinar a voar!
Dora Leal
Enviado por Dora Leal em 26/12/2004
Reeditado em 20/03/2012
Código do texto: T927

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dôra Leal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dora Leal
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
501 textos (25398 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:57)
Dora Leal