Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Depois de um copo de vinho

“Não precisa de sonhar.
Pode dormir descansado.”
(“Caldo verde”, Armando Sousa)

-----

Eu fui tomar um caldinho
com pirão e macaxeira.
Senti aquela leseira
na cabeça, ergui o vinho,
tomei um copo todinho,
e fui pra cama sonhar.
Mas comecei a escutar
alguém dizer ao meu lado:
“Pode dormir descansado;
não precisa de sonhar.”

Aquela voz, martelando
meu juízo, me deixou
um pouco borocoxô.
Não sei dizer até quando
assim fiquei, escutando
aquele som sussurrado:
“Pode dormir descansado;
não precisa de sonhar.”
E foi me faltando o ar,
e me quedei sufocado.

Logo acordei assustado
com aquilo que eu ouvi;
olhei prum lado e não vi,
mas ouvi do outro lado:
“Pode dormir descansado;
não precisa de sonhar.”
Levantei-me devagar
e fui direto ao banheiro,
pois não agüentava o cheiro
que passei a exalar.

E aquela voz a falar
que nem um disco quebrado:
“Pode dormir descansado;
não precisa de sonhar.”
E eu fui, então, me banhar
para voltar a dormir,
mas continuei a ouvir
aquela voz contundente
que me martelava a mente
depois de o vinho ingerir:

“Pode dormir descansado;
não precisa de sonhar.”
Não dava mais pra agüentar,
eu já estava ensopado
de suor, todo molhado,
sentindo enorme canseira
porque tomei de primeira
aquele copo de vinho
depois de ingerir caldinho
com pirão e macaxeira.
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 02/04/2005
Código do texto: T9354
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 68 anos
909 textos (260193 leituras)
36 áudios (10732 audições)
6 e-livros (1679 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 15:04)
Paulo Camelo

Site do Escritor