Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEGUNDA, PRIMEIRA PÁGINA


No jornal da segunda-feira.
Um corpo nu, de bruços e com banca,
na primeira página do pasquim matutino
desencarnou na avenida dos leitores curiosos.

Um corpo nu.
Ninguém teve coragem de vê-lo de frente.
Rosto no chão: sem pau, boceta ou aliança,
como alguém poderia saber qual foi o motivo
do desatino das balas que atravessaram o crime
e transformaram o amor em uma arma de paixão?

Um corpo nu na primeira página.
Nem a foto teve coragem de mostrá-lo de frente.
A humanidade em sua volta, conformada e isolada,
evita revelar se sob o bruço mora um seio ou um bico,
evita comentar o contorno sutil em meio às suas pernas
enquanto a repórter, enfática, destaca a bunda esparramada.

Eu, assustado, abri o jornal
como abro os olhos da segunda-feira.
Senti o gosto do dente quebrado no asfalto,
o sangue, numa alusão irônica ao beijo partido
em estado de graça sendo estancado pelas piedosas
mulheres que salvaram uma alma com um só telefonema.

Eu sou aquele corpo vestido
de morto e em destaque na foto
daquele pasquim das segundas-feiras.
 
Morri imprensado numa foto do jornal.

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 02/04/2005
Código do texto: T9381
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19518 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 11:06)
Djalma Filho