Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ZIPER.

Não sou gordo, nem mesmo tenho barriga.
Mas, emagrecera um pouco.
Atrevido, comprei uns jeans um número menor.
Ficaram até um pouco folgados. Uma beleza.
Mas, como é da natureza e da inércia do sedentário, engordei um pouquinho.
Isso não me incomoda. Tô mais fofinho.
O que me incomoda é que tô sem calça um número maior.
Dei tudo. Tava um galã.
Agora, pra me vestir tá difícil.
Para!
Já estou vendo você mulher rindo de mim.
Você encolhe a barriga, deita de costas na cama, da umas reboladinhas e o jeans entra que é uma beleza, esculpindo tudo. Um corpinho de princesa.
Mas eu tenho saco e piru.
Esse é o  problema.
Dois pequenos detalhes, dependendo do dono um pequeno detalhe ou um grande problema. rsss.
Não adianta deitar de costas.
Reboladinha não dou. Se der quebro a espinha.
E se gostar de rebolar?
Dizem que quem vai não volta mais.
Tô fora.
Mas, voltando ao fato concreto tenho que dizer: tá difícil.
As coxas já são grossas. Engrossaram mais ainda.
Bunda de homem vocês sabem que é dura.
Então, uma bunda dura, um pinto, um saco com dois ovos, que trato com muito esmero e cuidado, e um par de coxas de jogador de futebol.
Acha que é pouco?
Eu tô te vendo daqui mulher rindo do meu sofrimento.
Confesso, tô igual travesti.
Visto a calça até à cintura. Encolho a barriga e prendo a respiração. Ajeito o pinto com cuidado embaixo do saco e puxo o ziper pianinho e fecho a calça torcendo pra não dar um pum.
Pra quem não sabe o ziper pra nós homens é um perigo mortal. Quem já teve pinto preso no ziper sabe que DÓÓÓÓÓÓI demaisssssssssssssssssssss.
Tchau.
jose antonio CALLEGARI
Enviado por jose antonio CALLEGARI em 05/01/2006
Reeditado em 06/01/2006
Código do texto: T94956
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jose antonio CALLEGARI
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 53 anos
475 textos (25271 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:02)