Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BALADA DOS DOMINGOS

Domingo,
ao teu lado,
é dia de parque,
meu bichinho de pelúcia,
- o maiorzinho -
conquistado
na barraca do tiro-ao-alvo
bem na mosquinha do amor.

Domingo,
ao teu lado,
é dia de dentar nuvens,
- de algodão doce -
minha rodinha-gigante
cheinha de altos e baixos
no casulo do bicho-da-seda
bem tecida para tantos beijos.

Domingo,
ao teu lado,
é dia de vendar os olhos,
- sérios da semana -
minha cabrinha-cega
a deslizar desgovernada
pelos trilhos do trem-fantasma
dessassombrado meus Domingos.

Um só Domingo,
ao teu lado,
é tempo pouco de colheita
para todas as maças-do-amor
- vermelhinhas -
sempre bem mordidinhas
envergonhando-se ao perceberem
que mal cabem, inteiras, dentre beijos.

Findo o Domingo,
sempre ao teu lado,
haverá um parque em fim de função,
triste de rosto,
minha salinha-de-espelhos,
prontinha para refletir todas as faces
minhas pelo Domingo inteiro,
ao teu lado,
até então, nunca vistas!


E torço,
como se de futebol gostasse,
para que um novo Domingo chegue rápido
e, nele, tenha coragem de declarar publicamente
meu amor pelo lúdico, pelos brinquedos deste parque,
pelo desprezo pela minha cara séria
às segundas, às terças, às quartas, às quintas, às sextas,
aos sábados ansiosos, às vésperas da tranqüilidade
constatada, ao teu lado,
nos Domingos cheios de parque.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 06/01/2006
Código do texto: T95437
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:45)
Djalma Filho