Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FLAGRANTES URBANOS (3) - a lesminha

Apressada,
a lesminha quando atravessava
o banco da praça,
parou um só instante
só para observar
os namorados
- num ir-e-vir pasmoso -
antes de encontrarem-se.

Espectadora
dos beijinhos de ternura,
dos beijos maduros
- que faz a paixão crescer -
e dos molhados inteirinhos pelo amor,
a lesminha, quando quase parou
no meio do banco da praça,
observou o canivete de fino corte
rabiscar letras ferindo cascas de árvores
superficial como os corte nos dedos
que pouco sangram sem alardes
jurando até silêncio quando houver,
- se houver -
amanhã, separações.

O  descuido dos homens
para com os sentimentos
pode até deixar que a mata vença a praça.

Descansada,
a lesminha ainda vive,
mesmo não chegando
ao outro lado do banco em seu caracol distante
- coitadinha! -
onde vira, um dia, tanto amor brotar
no antes: hoje, tudo é mato!
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 06/01/2006
Código do texto: T95439
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19519 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:30)
Djalma Filho