Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Xeque-Mate

A queda de um rei
A queda de um império
Vi o reino que amei
Caíndo como um velho

Começou o jogo violento
Guerra entre nós
E a cada movimento
Caem milhões a sós

A infantaria avança
Lentamente, quadro a quadro
O império balança
Como o estandarte no mastro

No alto da torre
Vê-se os arqueiros
Castigando como açoite
O exército alheio

A cavalaria, nobres soldados
Avança sempre aos pulos
De seus nobres cavalos
Surpreendem até os mais astutos

A influência da igreja
Só pede para o poder cortez
Que ao longe almejam
A queda de outro rei

Um rei em seu forte
Lá ele se esconde
Fugindo da morte
Mas nunca vai longe

Cercado e apavorado
O rei se abate
Fica deprimido
Ao ouvir xeque-mate

A queda de um rei
A queda de um império
Vi o reino que amei
Caíndo como um velho
BOI (Luciano Alencar)
Enviado por BOI (Luciano Alencar) em 07/01/2006
Código do texto: T95793
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original).
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BOI (Luciano Alencar)
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 29 anos
246 textos (25429 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:51)
BOI (Luciano Alencar)