Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Silêncio

I
Eu tento um silêncio dentro de mim
Mas o meu coração bate mais forte
E me diz que tem que ser assim.
O encanto e o susto me prendem a você
É algo novo, mas parece que sempre existiu
Parece que em toda a minha vida eu só fiz
Esperar por você.


II
Bebo o cheiro da chuva na terra seca,
Abraço a Mantiqueira e as cordilheiras
Já não são mais intransponíveis para mim.
Receio somente as pessoas. Elas sim,
Pensam alto nas estrelas, mas raras são
As que brilham quando é noite escura,
E no silêncio que eu tento, tudo se faz ventura.


III
Anjos que velam a vida, o sono e a morte
Dissolvem trevas, oscilam sorte,
E eu não creio no que penso,
Mas o mesmo pensamento permanece depois
E  os meus olhos cheios de sonho e sol
Mais uma vez crêem na vida e partem
Para vivê-la.

IV
Na fome de ser, nutro secreta simpatia
Que não se esvaia com o dia.
Então eu me arremato e me envolvo
Num silêncio frio que submerge incertezas
Em manhãs claras de risos e lágrimas
Onde já brilham amontoadas esperanças

V
Eu espero sempre, tudo aquilo que
Nem por um instante, eu desisti de querer.
E nessa espera me pego sempre à espreita
De um sonho que sonhei com você.
Um sonho de espanto e admiração,
Desejo num momento e querer eterno.

VI
Há um silêncio onde tudo cabe
Tudo cala, tudo fala em frementes
E comovidas falas dentro do meu ser,
dando a certeza de que
As coisas boas podem nos machucar:
Mas nunca nos arrepender.



lakes
Enviado por lakes em 10/01/2006
Reeditado em 17/02/2010
Código do texto: T96815

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Carmen Lúcia Reis). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lakes
Vitória - Espírito Santo - Brasil
52 textos (2602 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:44)
lakes