Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COLIBRI

À Florbela

Olho contrito, com olhar sereno,
As linhas bem traçadas do teu rosto,
E quanto mais te olho... me apequeno,
Mais sinto um amargo de desgosto...

E foste... colibri, foste tão cedo,
Furtiva, amaciando os passos,
Curtir no além a dor do teu segredo,
Deixando-me tão só, com meus fracassos...

Nas horas das manhãs de rutilâncias,
Calculo, com frêmito, as distâncias
Que te separam deste vil asceta...

Pensando me juntar ao colibri...
Pois não há que viver, viver sem ti,
Nem há razão de ser..., do ser poeta!
Valdez de Oliveira Cavalcanti
Enviado por Valdez de Oliveira Cavalcanti em 17/11/2004
Código do texto: T99
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Valdez de Oliveira Cavalcanti
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 73 anos
22 textos (6704 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:50)