Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Se poeta eu fosse também...

 
 

Se poeta eu fosse também
Haveria de buscar
Toda essência do bem
Só para lhe entregar

Se tivesse mesmo o dom
Lançaria-me no tempo
Buscando no pensamento
A mais sutil vibração
Que durasse um momento
Como dura à ilusão

Se fosse eu poetiza
Que facilmente improvisa
Um condensado de amor
Buscaria na saudade
O toque de fragilidade
Que à vida dá sabor

 Deixaria minha alma
Seduzida pela vida
Encantar também a sua
E na turbulência da calma
A tristeza esquecida
Entretida na performance da lua
 
Assim nos dois silenciosos
Partilhando o firmamento
Deixando-nos conhecer
Seguiríamos atentos
Driblando qualquer sofrimento
Na ânsia de sobreviver

Os sonhos bem coloridos
Seriam como abrigos
Envolvendo emoções
Uma energia tamanha
Sensação um tanto estranha
Pulsando fortes paixões

Fosse eu poeta também
Haveria de dizer-lhe
Algo que fosse além
Muito alem do previsível
Que tocasse o impossível
Como ao artista convém

Que me fosse permitido
Transmitir todo sentido
Dos enganos e tristezas
De tal sorte que a verdade
Soasse com docilidade
Em meio a rude franqueza

Então amigo querido
Sussurraria no ouvido
Na intenção de o convencer
Que o mistério da vaidade
Da ilusão e da idade
É que provoca o sofrer

No entanto a felicidade
Habita a simplicidade
Que nos provoca um torpor
Nela não há falsidade
Há uma intensa claridade
Que arde na chama do amor

Priscila de Loureiro Coelho
Enviado por Priscila de Loureiro Coelho em 05/04/2005
Código do texto: T9902
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Priscila de Loureiro Coelho
Jacareí - São Paulo - Brasil, 65 anos
1286 textos (215183 leituras)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:58)
Priscila de Loureiro Coelho