Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VELHO IRADO, BROTHER.

Me sinto tão imaturo nos meus quarenta anos!
Não é porque nada aprendi com a vida não.
Aprendi alguma coisa,
Poderia muito mais.
Sou limitado, entende...
Mas, compreenda,
É a primeira vez que faço quarenta anos.
Pros meus vinte, sou bem maduro hoje em dia.
Muito mais do que aos quinze.
Mas, pra quarenta sou um "quarenlescente"
Com alguns poucos hormônios que me restam
Indecisos como antes, quando mais jovem.
Tô triste por isso?
Triste por não saber tudo aos quarenta?
Qual nada!
Tô rindo à toa.
Quero chegar aos oitenta completamente imaturo
Pra idade que eu tiver;
Porque assim sentirei o desejo "jovem"
De ver as coisas novas pra mim
E me encantar com as surpresas da vida.
Não serei da terceira idade
E nem da melhor idade.
Esses chavões são uma forma sutil
De discriminar e dizer:
Você é velho, mas tem um espacinho só seu
Num canto qualquer da casa.
Você, por ser velho, pode nos contaminar com
A sua velhice.
Você tem uma mesa só sua, um quarto só seu,
Um clube de dança seu também.
Mas, não vai conviver conosco não.
Nada de miscigenação etária.
Nada de lírica fusão de conhecimentos entre as gerações.
Você será "livre" para escolher entre o asilo
Ou as atividades de lazer de sua idade.
Qual escolhe?
Velho, serei segregado num eufemismo só.
Que barato!
Serei fonte de renda pro outros, sem dó.
Sempre enfreitei as coisas de peito aberto,
Não vou ser velho-bebê carregado pelas mãos.
Com todos os riscos que a vida tem,
Aos oitenta vou ser um radical e irado
Oitolescente.
Me aguarde brother.
jose antonio CALLEGARI
Enviado por jose antonio CALLEGARI em 15/01/2006
Código do texto: T99073
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jose antonio CALLEGARI
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 53 anos
475 textos (25275 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:16)