Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Prisioneiros das ausências





A carroça é velha, puxada por dois cavalos magros,
a estrada é cheia de perigos e buracos.
Carrega a maioria velhos doentes e esquecidos,
indo sem uma direção, solvendo o vento, frio e relento.

Há gritos sem respostas, queixas sem consolos
ranger de dentes, aflição e desesperos.
Não á ecos, só umidades e corrimentos
camas frias, roupas encharcadas.

Os espelhos refletem a luz vazia
As janelas são fechadas, não a visitas, diz o confere
As panelas estão vazias, nem vigário ou ministro
andam no pisar dos estreitos.


O mofo, lodo, fetidez tem o passos
presos na cerne dos desejos da carne.
A estrada é larga e o caminho é curto
o fim não tem começo.


http://carlodonizeti.blogs.sapo.pt/



Comendador Carlos Donizeti
Enviado por Comendador Carlos Donizeti em 11/03/2006
Código do texto: T121886
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Comendador Carlos Donizeti
Hortolândia - São Paulo - Brasil, 58 anos
135 textos (4269 leituras)
12 áudios (448 audições)
6 e-livros (568 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:36)
Comendador Carlos Donizeti