Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Chuvas resvaladas

Oh! O dulcíssimo amor faz dias pequenos
pelo muito que se quer amar no amor,
as águas vertidas do coração em sonos
avançam vertiginosamente por línguas de ondas em flor,
que desabrocham invasoras e ativas, escalando
todos os silêncios despertos nos sonhos lenitivos,
que reviveram nas pálpebras e risos em bando,
tantos sonhos à busca de mais sonhos cativos,
d’um coração meigo, que se vê abrandando!

Dulcíssimo enternecer galopante e persuasivo
toma conta dos sentidos, ganha horas, anos,
léguas de luz e calor, e da paixão vira escravo,
cujas noites não bastam aos misteriosos abandonos!

E os sonhos temíveis por se acordarem sozinhos,
postergam o despertar para além de mais sonhos,
espetando silêncios, no entanto, cedem vencidos
à presença cheirosa do amor em beijos respirados!

Ondas bravias paralelas à canção marulhada se rendem
e se calam face aos sussurros, que mais que as promessas,
aportam corações em vereda lunada que sombra não temem,
pois as chuvas resvaladas inundam montanhas de esperanças!

Santos-SP-02/04/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 02/04/2006
Código do texto: T132629
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:10)
Inês Marucci